Rua Sorocaba 800, CEP 22271-100, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Produções recentes - desenho, pintura e colagem

O Ateliê Vivo da Casa das Palmeiras sempre em contínua produção. Aqui, apenas, mostra de cinco produções deste mês de abril de 2017. 



O processo de individuação é um movimento natural, instintivo, de crescimento da personalidade que poderá ser conscientemente vivido por todo aquele que der atenta consideração à sua vida interna. (...) Quando a psique entra em estado de desordem e regressão, esse processo intensifica-se defensivamente. Assim acontece talvez em maior número de casos de esquizofrenia do que se possa esperar. (...) 
O processo defensivo fragmenta-se e perde-se no caos. Mas uma coisa comovedora é verificar que raramente deixam de mobilizarem-se novas forças ordenadoras e símbolos que esboçam antecipações de etapas progressivas, Tudo poderá ser desintegrado. Mas parece que a psique possui uma incrível capacidade de lutar contra a doença e de suportar, sem anulação completa, a brutalidade da maioria dos tratamentos psiquiátricos.
Imagens do Inconsciente, Nise da Silveira – Ed. Alhambra Rio, 1981 – pág. 308, 309.


_____________________________________________

sexta-feira, 31 de março de 2017

Grupo de Estudos C. G. Jung e Nise da Silveira

- Leitura e reflexões -
  O Grupo C. G. Jung  - 5 e 19 - abril. 
3,17 e 31 - maio de 2017

Imagens do Inconsciente
Continuação obra de Nise da Silveira
O Tema Mítico da União de Opostos
O Tema Mítico do Deus Sol
Em seguida, maio, iniciaremos GATOS, emoção de lidar.
Às quartas-feiras de 15 em 15 dias - das 19h às 20h30.
Local: CASA DAS PALMEIRAS
Rua Sorocaba, 800 – Botafogo.
Inf.: Tel. 2266-6465 (inf.: das 13h às 17h) / 2242-9341
O GRUPO DE ESTUDOS É GRATUITO 
Obra de Nise da Silveira Ed. Vozes - temos este livro R$ 100,00
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

quarta-feira, 29 de março de 2017

Processo criativo – Casa das Palmeiras – breve olhar

A criatividade na Casa das Palmeiras se mantém viva. Este é o seu propósito, traçado por Nise da Silveira, com a emoção de lidar cotidiana, e assim tem sido em sua longa caminhada.
Pequeno Território Livre oferecendo oportunidades à expressão da criatividade, ao processo criador de cada pessoa, em especial.
Oportunidades de expressão são oferecidas aos frequentadores assíduos da Casa, outros que passam por curto tempo, e, de rico proveito, como aprendizagem, aos estagiários e voluntários que acompanham os clientes, quando necessário.
Chega-se a Casa, interage-se com seus pares em comprimento amável ou num silêncio bem pessoal. A tônica é sentir-se em casa, num local de pertencimento, pessoal. Um espaço de acolhimento e prazer afetivo pelo convívio humano. Ao sentir-se á vontade cada um produz o que as emoções solicitam ou são estimuladas com espontaneidade.
O carro chefe é o desenho, pintura e modelagem. Muitas outras atividades expressivas são oferecidas. Mas as atividades plásticas, sem dúvida, sempre falam mais que palavras. As imagens que surgem do inconsciente são o histórico mais contundente de uma pessoa. 


Segunda feira, dia 27 de março, estamos em 2017, um amigo frequentador da Casa chega, senta-se quieto, fuma um cigarro. Por um simples estímulo ao ateliê para desenhar demonstra interesse de imediato para produzir. Concentra-se em clara tensão emocional, num mergulho sôfrego diante do papel branco sobre a mesa, de pé, com traços fortes com pastel oleoso realiza sua obra e termina com sensação de prazer.


Revelações se fazem espontâneas. Apenas registram-se alguns momentos. A sequência do trabalho é de especial importância. Fala a sua história, sua natureza sensível, seu estilo no processo criador.
Dra. Nise da Silveira teve como mestre maior C. G. Jung por sua atenção plena ao mundo das imagens. Com este mestre suíço que Nise bebeu, na fonte, as referências para seu trabalho científico, as riquezas do universo imagístico como revelação dos processos internos. 
      NISE : “Nosso enorme acervo de nada servirá, será coisa morta, se não for estudado. Cabe a vocês esta tarefa, que exige ter diante de si muitos anos pela frente. Cuidar, de fender este patrimônio. Estudar, desenvolver nossos atuais métodos de pesquisa, tornando-os mais sistematizados e precisos, acompanhando sempre o desenvolvimento da Ciência, que não para nunca. Vocês não perderão seu tempo. Estas imagens surgidas do inconsciente, do mundo primordial, têm muitas coisas a revelar sobre dinamismos da vida psíquica e sobre os mistérios da atividade criadora”.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 14 de março de 2017

Cine Clube - Caso Adelina

Cine Clube da Casa das Palmeiras
Imagens do Inconsciente
- No Reino das Mães - Adelina -
- filme de Leon Rirszman - 55'
Sábado, dia 18 de março às 16h - seguido de debate.
Local: Casa das Palmeiras
Rua Sorocaba, 800 – Botafogo.
Colaboração R$ 10,00 [para a Casa].
Inscrição no local, no dia do filme
Imperdível !
Dra. Nise oferece com doçura flores para Adelina numa Festa da Primavera.
 -------
Adelina Gomes, de origem simples, filha de camponeses, foi jovem retraída, tímida, desde criança. Primeiro interesse de namoro aos 18, quando se apaixonou por um jovem que a mãe não aceitou. Submissa se retraiu e um dia de repente estrangulou a gata que gostava tanto. Foi internada. Depois de um tempo passou a frequentar o setor de Terapêutica Ocupacional no Hospital do Engenho de Dentro onde pode se expressar com modelagem, desenho, pintura e mesmo confecções de flores artesanais para as festas de primavera. Com as atividades expressivas passou a ter uma boa relação com o mundo externo, e, prazer em ver suas produções.
Imagens da acervo - Museu de Imagens do Inconsciente.

domingo, 5 de março de 2017

Casa das Palmeiras - vive de doações - agradece com amor !

- Espaço para ser mais conhecido e amado -
 ****
O que é a Casa das Palmeiras?
“A Casa das Palmeiras é um pequeno território livre”.  
Nise da Silveira
Casa de convívio afetivo, emoção de lidar -
Criatividade, pesquisa e ciência. 

Atividades plásticas - produções espontâneas 

           A Casa das Palmeiras é uma Associação Civil. Instituição de reabilitação com Terapêutica Ocupacional, Emoção de Lidar, em regime aberto. Idealizada por Nise da Silveira, fundada por ela com a colaboração da psiquiatra Maria Stela Braga, uma assistente social, uma educadora e da artista plástica Belah Paes Leme em 23 de dezembro de 1956.

         A Casa não segue padrões convencionais de reabilitação psiquiátrica. É um pequeno território de relações humanas, de convívio afetivo, de criatividade, de pesquisa e ciência, onde os clientes têm a oportunidade de, espontaneamente, realizarem seus trabalhos expressivos lhes facilitando a entrada em contato com a vida.
        A Casa das Palmeiras sobrevive de doações dos Familiares, Sócios, Padrinhos e Madrinhas, e, generosidade de Amigos/as.
        Método inspirado na prática Terapêutica Ocupacional a partir da observação com os próprios clientes e enriquecidos com a Psicologia Analítica de C. G. Jung.
          “Quando existe um alto grau de crispação do consciente, muitas vezes somente as mãos são capazes de fantasia. Elas modelam ou desenham figuras que são muitas vezes completamente estranhas ao inconsciente.” C.G.Jung, cw13, 17.
         Nise da Silveira foi pioneira na aplicação das atividades plásticas como método terapêutico, efetivo, tendo o desenho, a pintura e a modelagem como “carros chefes” no tratamento aos clientes em grave estado psíquico e afetivo.
          Outras atividades expressivas: xilogravura, Artes aplicadas (bordado, crochê, tricô, tapeçaria, bijuteria, costura, tear), jardinagem, arranjo floral, encadernação, música, dança, poesia, expressão corporal, contos de fada, teatro, lanche, passeio, cinema, clube Caralâmpia, grupo cultural, jornal, festas e outras criações afins. 
           Palavras de Nise da Silveira:
          “A pesquisa e o estudo a partir das vertentes imagísticas estão apenas começando. Somente o ponto do iceberg despertou. A partir do século XXI, os interessados neste assunto devem se dedicar intensamente, pois, das imagens surgirão não só revelações sobre o corpo psicológico e físico, como descobertas das potencialidades mentais dos seres humanos. As descobertas futuras sobre o inconsciente revolucionarão a história da raça humana.”
          Visitem esta Casa de afeto e acolhimento // Contas na Secretaria
          Rua Sorocaba 800 - 22271-110, Botafogo, Rio de Janeiro.
          Tel. (21) 2266-6465 (inf.: segunda à sexta-feira - 13h30 ás 17)     

Doações são bem vindas – qualquer quantia // Clientes e todos agradecem.
Casa das Palmeiras
CNPJ – 33.808.486/0001-48
Banco Itaú – Agência 9161 // Nº 09906-5
------------------------------------

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Frases de NISE

Anotações em torno da mestra Nise da Silveira em Grupos de Estudos ou conversas informais. Algumas já foram aqui publicadas. Retomá-las é manter a chama acesa.
Como as frases tem sido a matéria mais procurada no Blog, resolvemos reeditar frases para a Alegria de muitos.

“Todo mundo deve inventar alguma coisa, a criatividade reúne em si várias funções psicológicas importantes para a reestruturação da psique. O que cura, fundamentalmente, é o estímulo à criatividade.”
“É necessário se espantar, se indignar e se contagiar, só assim é possível mudar a realidade.”


“Para começar a estudar é preciso, de início, capinar. Capinar, capinar, capinar... intensamente. Somente, após longo trabalho de capinação é que você poderá trocar o ancinho por um longo pente, e passá-lo sedosamente nos cabelos de uma mulher.” Para o psicólogo Vicente Saldanha, quando ainda estudante e estagiário de Nise.


“A contaminação psíquica é pior que piolho. Vai passando de uma cabeça para outra, numa rapidez incrível. E, como você sabe todo mundo já pegou piolho.”


“Há no meu temperamento essa fúria. Quando eu quero uma coisa, eu insisto. Todo o dia, sem falta, eu levantava cedo, pegava o ônibus e ia trabalhar em Engenho de Dentro. Todo dia, todo dia... Nada me tirava daquele caminho.”


“Desprezo as pessoas que se julgam superiores aos animais. Os animais têm a sabedoria da natureza. Eu gostaria de ser como o gato: quando não se quer saber de uma pessoa, levanta a cauda e sai. Não tem papo.”

“Eu me sinto bicho. Bicho é mais importante que gente. Pra mim o teste é o bicho, se não passar por ele, não tem vez. Freud disse que quem pensa que não é bicho, é arrogante.”


O psiquiatra inglês Ronald Lang, estando no Brasil e conhecendo, pessoalmente, a Doutora e sua obra, ficou profundamente tomado de emoções e encanto. A Doutora se viu seduzida por ele e dizia com sutileza: “O Laing era um gato.” 

“Estamos socialmente condicionados a considerar a imersão total no espaço e no tempo exterior como coisa normal e saudável. A imersão, no espaço e no tempo interior, tende a ser considerada um afastamento antissocial, um desvio inválido, patológico per se e, de certo modo, desabonador. Para mim, faz muito mais sentido, como projeto de urgência desesperada em nossa época, explorar o espaço e tempo interiores da mente”. “A contribuição de Laing (Ronald) foi a exploração do espaço interior”.

“Eu não me atrevo a definir a loucura”.
“Porque passei pela prisão, eu compreendo as pessoas e os animais que estão doentes, pobres, que sofrem. Eu me identifico com eles”.
[ Nise - gravura de José Paixão]

“A obra de arte para Freud fundamenta-se nos condicionamentos individuais do criador, e o Jung encara a obra de arte como uma produção superpessoal.”

Um amigo sobre Nise: “Nise uma universidade, alma de artista. Agregava talentos sem linha divisória, separação”. 
“Quando descobri a unidade da matéria e da energia, uma coisa se transformou na outra; minha vida mudou.”

“Encontrei na psicologia de Jung e nas obras deste mestre o meu melhor instrumento de trabalho.” A Doutora costumava dizer que ela, como as costureiras, possuía muitas tesouras, mas dava preferência a uma, a de C. G. Jung. 
“Madame Adelaide Sechehaye. Ela me disse: ‘Só se pode progredir pelo prazer’, meu encontro com ela foi um grande prazer.”

“Há beleza na vida, há beleza em tudo. Vocês veem?... Há beleza na alegria, e mesmo na saudade, na tristeza, no sofrimento e até na partida, há beleza. A vida é uma beleza.”  

“Só os loucos e os artistas podem me compreender.”
------------------------------------------------------------------

15 de fevereiro Nise da Silveira

Ontem, Feliz Aniversário nascimento
 de Nise da Silveira
 15 de fevereiro de 1905 - 30 de novembro de 1999
Saudades eternas!
Museu de Imagens do Inconsciente
 NISE com funcionários, visitantes,
Albertina Borges da Rocha e Mariana Kitayama -1989
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Grupo de Estudos C. G. Jung - 2017

- Leitura e reflexões -
 – O Grupo retornará em 8 de março, 2017 
Imagens do Inconsciente
Continuação obra de Nise da Silveira
Em seguida leremos GATOS, emoção de lidar.
Às quartas-feiras de 15 em 15 dias - das 19h às 20h30.
Local: CASA DAS PALMEIRAS
Rua Sorocaba, 800 – Botafogo.
Inf.: Tel. 2266-6465 (inf.: das 13h às 17h) / 2242-9341
O GRUPO DE ESTUDOS É GRATUITO 
  * Está aberto ao público em geral *
Bem vindos os artistas, filósofos, psicólogos, pensadores livres,  cientistas, antropólogos, sociólogos e/ou qualquer pessoa que desejar ler, estudar e/ou conhecer, mais profundamente as Obras de C. G. Jung e Nise da Silveira
Jung lendo no jardim 
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Seleção de Estágio e Colaboradores - 2017

Dia 4 - fevereiro - 2017, sábado das 9h às 16h
Casa das Palmeiras
Rua Sorocaba, 800 - Botafogo
Tel. 2266-6465  (de segunda à sexta das 13 ás17h)
E-mail - casadaspalmeiras@bol.com.br
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ano Novo - Vida Nova - 2017

Depois de um tempo de descanso para todos, férias na Casa das Palmeiras, as atividades se farão com sua retomada em Alegria, Convívio afetuoso,
 Criatividade e Pesquisa.
Que a bela Estrela das atividades expressivas brilhe para todos.  



 Processo criativo / fases – Ricardo - 2007 a 2016 –
Ano Novo - Vida Nova - 2017