Rua Sorocaba 800, CEP 22271-100, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Festa da Primavera nas Palmeiras


Amanhã 22 de setembro Festa da Primavera na Casa das Palmeiras
Todos os Familiares, Amigos e Amigas de sempre estão convidados
Das 13h30 às 17h _ basta trazer um pratinho de salgado ou suco para colaborar.

Produções - desenhos e pintura - realizadas nos ateliês
 -- Flores artesanais 








 

 Viva! Alegria às mãos que engendram criatividade!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Seja Padrinho/Madrinha da Casa das Palmeiras

Seja Padrinho/Madrinha da Casa das Palmeiras

        A Casa das Palmeiras resiste desde sua fundação - 1956. Centro de convivência afetiva, atividades expressivas e pesquisa. Sobrevive de doações dos clientes/usuários, poucos sócios, fiéis amigas/os e admiradores de Nise da Silveira/ sua fundadora. Diretoria, colaboradores e estagiários/as são voluntários. Dois funcionários remunerados, mais o contador. A Instituição precisa manter se produtiva.
        Seja um doador - qualquer quantia é bem vinda - nossa conta:

CASA DAS PALMEIRAS - (CNPJ 33.808.486/0001-48)
Banco Itaú –
Agência: 9161 - Conta 09906-5.  
           
Informações: Tel. (21) 2266-6465 (das13h30 às 17h – 2ª a 6ª feira)
- Agradecemos com Emoção de Lidar
Rua Sorocaba, 800 – Botafogo, Rio de Janeiro/ RJ. 
[Balanço de contas mensal na secretaria] 
Visite nossa página para ver seu funcionamento – a riqueza criativa.
                                                                        
        
Observação de uma das Madrinhas - M. L. - psicóloga linha de C. G. Jung que mora em São Paulo e apenas conheceu a Dra. Nise numa visita - ela nos disse com amor e solidariedade à Obra:
" Se todas/os profissionais que trabalham e de alguma forma conhecem a obra de Dra. Nise da Silveira dessem uma sessão/consulta por mês para ajudar a Casa das Palmeiras, não haveria nenhuma preocupação maior".

Observação de um psiquiatra - Dr. J. P. H. - pessoa que em muito ajuda a obra de Dra. Nise foi direto: " Se todos que passaram pela Casa das Palmeiras e se beneficiaram de alguma forma, dessem um mínimo de dinheiro por mês, para a manutenção da Casa, tudo funcionaria com tranquilidade"
Manter uma instituição com pessoas singulares, que sofrem das intensas emoções mentais é muito sacrifício
 para a  Diretoria, voluntários e estagiários que nada recebem. 
A Casa se mantem viva e ativa por grande Afeto
 aos clientes, usuários, que são a alma pulsante da Casa. 


 

Sinta-se honrado/a e feliz por ser Padrinho ou Madrinha
 da Casa das Palmeiras. 
Como contrapartida receberá uma reprodução trabalho feito nos ateliês
NOTA - este Blog é produção voluntária, amor aos Clientes da Casa // obra de Nise da Silveira.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

domingo, 3 de setembro de 2017

Grupo de Estudos C.G.Jung

 O Homem e seus Símbolos
Carl Gustav Jung - concepção e organização

  Local: Casa das Palmeiras
Às quartas-feiras de 15 em 15 dias /
 das 19h00 às 20h30

 6 e 20 de setembro de 2017
   I - Chegando ao inconsciente – Carl G. Jung
       - A análise dos sonhos – dia 6 de setembro
       - O problema dos tipos – dia 20 de setembro

Rua Sorocaba, 800  -  Botafogo
Inf.: Tel. 2266-6465 (das 13h às 17h) / 2242-9341
O Grupo de Estudos C. G. Jung é gratuito
       Bem vindos os artistas, filósofos, psicólogos, pensadores livres, antropólogos, sociólogos e/ou qualquer pessoa que desejar ler, estudar e/ou conhecer, mais profundamente a obra de Carl G. Jung.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~  

terça-feira, 29 de agosto de 2017

NISE - O Coração da Loucura - Filme nas Palmeiras

Exibição do filme  
Nise - O Coração da Loucura 
Seguido de conversa informal com o diretor
 Roberto Berliner.
Entrada Franca.
**** 
Dia 2 Setembro - SÁBADO  às 16h30
Casa das Palmeiras.
Rua Sorocaba, 800 - Botafogo. 
Teremos DVD à venda

 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

sábado, 26 de agosto de 2017

Encontros na Casa das Palmeiras - Grupo de Poesia

                          Há mais de uma década o poeta Augusto Sérgio Bastos, voluntariamente, se faz presente à Casa das Palmeiras com sua presença tranquila e generosa em afeto e atenção plena para com os clientes na Atividade Poesia. Aqui postamos seu depoimento.  Ele melhor que ninguém para nos mostrar caminhos de encontros poéticos, sobre sua coordenação, sempre tão ricos para os participantes, assim como para o corpo cultural da instituição. Nossa eterna gratidão.
Os poetas - Augusto Sérgio e Afonso Henriques Neto.
- imagens do arquivo - 
Encontros na Casa das Palmeiras
Grupo de Poesia
       
         O grupo se reúne na quarta segunda-feira de cada mês. Além da presença dos clientes, contamos com a participação de estagiários e, eventualmente, de coordenadores de outras áreas e médicos da Casa.
         Em abril de 2004, participei, pela primeira vez, como coordenador do Grupo de Poesia, dando seguimento à atividade.
         A cada reunião, distribuímos algumas laudas digitadas, quase sempre contendo fotos e pequenas biografias dos poetas que vamos estudar, com alguns dos seus textos mais representativos. Tratamos de poetas clássicos assim como de modernos e de contemporâneos; cito alguns: Gonçalves Dias, Castro Alves, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Paulo Leminski, Ferreira Gullar, entre outros.
         O coordenador lê as biografias e faz comentários, incentivando a participação. As poesias são lidas por todos os presentes, que, em diálogo com o coordenador, fazem suas observações. Os clientes são motivados a dizer se gostaram ou não e por qual razão. Tentam responder à célebre e irrespondível pergunta: O que será que o poeta quis dizer?
         Chamamos a atenção para alguns tópicos, abordados de forma bem simples, objetivando o entendimento de todos: Rimas, Métrica, Ritmo, Formas fixas, entre outros.
          Ao final, é solicitado que cada participante escreva um poema. Depois, cada um lê o seu texto. Ao analisá-los, buscamos o envolvimento de todos, incentivando para que comentem o próprio trabalho e também o do outro.
        Com o objetivo de motivar o grupo, algumas vezes, convidamos um poeta para fazer palestra. Treze, de reconhecida qualidade, já estiveram conosco: Marcus Vinicius, Afonso Henriques Neto, Lou Viana, Eduardo Tornaghi, Suzana Vargas, Grupo Poesia Simplesmente (Laura Esteves, Silvio Ribeiro de Castro, Delayne Brasil e Ângela Carrocino), Lila Maia, Helena Ortiz, Geraldo Carneiro e Antonio Carlos Secchin – os dois últimos, atuais membros da Academia Brasileira de Letras.
        A Atividade, como um todo, visa fazer com que os clientes se expressem, se comuniquem, seja por escrito ou verbalmente.
        Nesses 13 anos de convivência, lidando com pessoas com maior ou menor dificuldade para se expressar, pude constatar que o cliente da Casa não difere muito das outras pessoas. Concentra-se na hora de escrever seus textos; alguns fazem ótimos poemas, outros produzem encantadoras mensagens em prosa e até, com certa frequência, desenhos bem elaborados, demonstrando grande sensibilidade.
        De modo geral, o cliente da Casa tem o olhar e o sentimento que o poeta precisa ter. Às vezes, traduzindo o ambiente que nos cerca, o exterior, e, num outro momento, mergulhando no seu mundo interior para se expressar singularmente.
        E é essa sensibilidade que faz com que ele se comporte, frente à Poesia, da mesma maneira que o poeta.


                                                                     Augusto Sérgio Bastos
                                                                              23/08/2017
 NOTA - um problema na configuração > não obedece comando - sai itálico sem querer
                                                                    
Acima - o acadêmico da ABL - Geraldo Carneiro, Grupo de Poesia.                                        
Abaixo a presença de outro acadêmico, Antônio Carlos Secchin.

momentos de leitura -
Poesia Viva sobre a mesa.
Suzana Vargas

 Lila Maia
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Atividade ocupacional - Jardinagem



          O pequeno jardim da Casa das Palmeiras é um cartão de visita para quem chega. As palmeiras verdejantes que lhe dão o nome fazem parte da entrada.

          Até pouco tempo não estávamos nos ocupando tanto da Jardinagem como desejávamos. Percebemos, entretanto, como todos gostam de estar perto das plantas, na grande varanda.
          Este ano de 2017 voltamos em plena reativação desta atividade ocupacional, tão importante, para os que frequentam a Casa. Temos um novo coordenador, Flávio, que em muito estimula ao amor às plantas na observação, cuidados e tudo o mais que for necessário. Reorganizando novos vasos.
          Os clientes apresentam satisfação em manusear com naturalidade as plantas sempre que convidados. Aprender conhecê-las melhor ao podar os galhos, retirar folhas velhas, secas, remexer a terra e plantar. Momentos mais frequentes e outros menos. Como outras atividades a Jardinagem, também, pede certa inclinação natural para com os cuidados com os elementos da natureza; terra e água. Para a riqueza da terra está sendo feito um bom trabalho de compostagem que é muito interessante para os clientes como aprendizagem.  



                O dia especial, determinado tem sido às quintas-feiras, mas pode haver alterações sem atrapalhar andamento das outras atividades regulares. Cuida-se das plantas sempre que necessário. Em horas livres; regar com cuidado, podar galhos, retirar folhas amareladas, limpar o necessário. Há clientes mais introvertidos que ficam de longe observando os movimentos da poda, o remover da terra ou quando se devem regar as plantas.   
          Nem todos os clientes se ocuparem desta atividade. Entretanto tem sido espaço de prazer, observação, dar um passeio, isso mais nas segundas-feiras, em especial. Simplesmente olhar as plantas, convidar a caminhar, quando alguém está agitado ou perdido em palavras angustiantes é saudável estar entre as plantas. Levar a pessoa para dar um passeio pelo jardim de braços dados ou de mãos dadas, observando os brotos novos que surgem, as folhagens ou simplesmente uma silenciosa caminhada perto da vegetação sempre faz bem. “Plantas são calmantes”, dizia uma cliente. Outro sorrindo mostrava: “As plantinhas no vaso são minhas filhinhas”. O simples gesto de olhar as plantas em sua variedade é terapêutico. Sempre se tem bons resultados.

           Alguns clientes têm receios de tocar na planta, mexer na terra, sujar as mãos. Fazem observações: “esta precisa de ser podada”, “folhas velhas vamos retirar, amareladas e secas”, “é preciso outro vaso maior” ou “amo as plantas, elas são lindas!”.

          Bonito é ver como sempre se colocam com delicadeza e afetuosa atenção para com a Mãe Natureza.    
          Por vezes, ao nos reunirmos, em grupo cultural, nos ocupamos em conversarmos sobre a natureza das planas e com isso as verduras, os legumes, as frutas, as árvores, em geral. Como as sementes que germinam crescem e tornam-se árvores com suas florações e seus saborosos frutos.
        Sempre é lembrada a frase de um antigo cliente da Casa, José Bastos: “A planta ensina que é preciso ser paciente para crescer”.  

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Arranjo Floral - O prazer de tocar a Natureza


  
ARRANJO FLORAL – Atividade sempre prazerosa

O Arranjo Floral ocorre ao longo do ano, com intervalos, quinzenalmente, às segundas-feiras, sempre antes do lanche, de duas e meia às três e meia da tarde, no salão principal da Casa das Palmeiras.
Para esta atividade são disponibilizados aos clientes vasos e flores de variadas formas, tamanhos e cores. Uma vez anunciado o início da atividade, todos os clientes são estimulados a escolher o seu vaso e a criar seu arranjo de flores.
Vale ressaltar que um ou dois clientes são convidados à função de auxiliar o estagiário no corte dos talos das flores conforme requisitado por outros clientes.
Em seguida, todos recebem papel e lápis para escrever ou desenhar o que desejar e, em seguida, colar com fita adesiva suas mensagens no vaso referente ao seu arranjo. Uma vez todos tendo terminado de escrever as mensagens elas são lidas ou mostradas junto ao arranjo floral, pelo seu criador, diante de todos os presentes. Ao terminar, todos estão convidados a decorar a Casa com suas criações ou oferecer a alguém como um presente.
Imagens do arquivo


Ao longo do tempo os temas escolhidos tem sido: amor, felicidade, alegria, vida, saudade, liberdade, família e saúde.
Nesta atividade, um estagiário/a ficava responsável por observar e anotar expressões, comportamentos, comentários, bem como as características dos arranjos criados pelos clientes.

Foi observada, particularmente, a evolução de um cliente que sentava no canto do salão e apresentava fortes traços autistas. Uma vez requisitado aos poucos passou a auxiliar no corte dos talos das flores e passou a faz seu arranjo floral, cuidadosa e gradativamente sendo convidado e estimulado a criar, bem como, escrever sua própria mensagem. Com o tempo este cliente, embora permaneça em silêncio, manifesta desejo de compor seu próprio floral chamando seus pares e gosta de sentar-se à mesa junto com todos.        

~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~